Jake Gyllenhaal falou com Kenneth Goh, editor-chefe da Harper’s Bazaar Singapura, sobre filmes, relógios e superpoderes.

Faz um ano desde que você assumiu o papel de primeiro embaixador de relógios da Cartier. Como tem sido até agora?

Não é difícil usar um relógio bonito. Também é um ótimo lugar para trabalhar – eles são realmente maravilhosos para mim e também abraçam os artistas de uma maneira diferente. Obviamente, estamos aqui para vender algo e mostrar algo às pessoas, mas há algo fundamental por trás disso, que é o respeito pelos artistas e a apreciação de quem é alguém. Quando Cartier veio até mim e disse: “Apreciamos o seu trabalho e o foco com o qual você o faz”, que [meu trabalho] de alguma forma incorpora uma parte da empresa deles neste relógio … eu pensei que [isso poderia ser] uma parceria maravilhosa.

Por que você acha importante que os homens usem relógio o tempo todo?

Você sabe, não temos muitos acessórios; e há algo sobre a graça e a elegância do relógio. É um lembrete de quem você poderia ser, deveria ser, quer ser. E está bem no seu pulso.

Se você tivesse a chance de interpretar o papel de Alberto Santos-Dumont em uma cinebiografia, como o interpretaria?

Chapéus em abundância! É sempre sobre adereços: aviões, adereços, relógios … Santos estava no mundo pilotando aviões e fazendo todas essas coisas incríveis, sendo um aventureiro que corre riscos. Eu amo que quando você pensa em Cartier e pensa em Santos, existe esse equilíbrio entre função e estilo. É esse tipo intenso de obsessão entre os dois; sobre beleza e funcionalidade. E quando uso o relógio, vejo a história do relógio; Eu posso sentir isso. Sinto a responsabilidade de cumprir essa ideia.

Tendo interpretado um supervilão em Homem-Aranha: Longe de Casa, que qualidade de super-herói você desejaria ter em sua vida diária?

Não sei se esse personagem pode ser descrito como um supervilão, não sei se ele é mesmo um vilão, mas sei não há muito super sobre mim! OK… Super paciência! Sou muito paciente, mas não o suficiente. Então, eu gostaria de ter mais disso. Super paciência, você consegue imaginar um filme assim? Ninguém iria querer assistir esse filme. Sim, mas eu gostaria disso. O que você desejaria?

Eu acho que ser capaz de ser invisível.

Sério? Você está usando um terno rosa!

É o oposto diamétrico: você quer ser capaz de não estar aqui.

Isso é tão interessante. Seu estilo é lindo, mas você não quer ser visto. Isso é realmente interessante.

Qual foi o seu papel mais desafiador até agora?

Ser uma pessoa; esse é o meu papel mais desafiador; tipo, apenas ser um bom irmão, um filho … não considero nada tão desafiador, exceto quando interpretei o garoto que perdeu as pernas nos atentados de Boston [no filme biográfico de 2017, Stronger]. Tentando entender a mentalidade desse personagem, no que ele experienciou… isso foi um desafio.


Fonte: Harper’s Bazaar Singapura
Tradução & Adaptação: Equipe Jake Gyllenhaal Brasil

deixe o seu comentário!