Jake Gyllenhaal e Carey Mulligan concederam uma nova entrevista para Entertainment Weekly sobre Wildlife.

Jake, seu personagem Jerry está no filme por um curto período de tempo quando ele deixa sua família para combater incêndios florestais. Por que ele sente que deve ir e combater esse desastre natural? O que você entendeu sobre isso e como você se conectou com ele?

Gyllenhaal: Eu acho que é meio que o auge da convenção naquela época, quando a família típica era a ideia do sucesso americano e todo mundo vivia por isso. E, no entanto, não haviam oportunidades para ambos homens e mulheres, e mesmo nesse caso um garoto, expressar de fato quem eles verdadeiramente eram e o que eles realmente queriam. Então a liberdade não estava realmente lá. E não é como se o amor não estivesse lá, mas acho que é como se quem eles realmente são como indivíduos nem sempre fosse permitido. E eu acho que [para o Jerry], ele está apenas indo contra a convenção para irromper em um espaço que parecia selvagem e perigoso, que é o que eu acho que a liberdade de verdade parece para alguém. Mesmo se for no sentido mais literal – suponho que se você colocar no sentido literal – é o mais perigoso; não é a coisa mais inteligente a se fazer, mas ele a faz. E eu não acho que seja sobre não amar e sobre não querer estar lá. Na verdade, acho que é exatamente o oposto. Eu acho que toda a convenção está pressionando tanto esses dois, que alguém tem que mudar algo. E eventualmente ele muda, e como resultado disso ela também muda, e então a verdade se espalha naquele espaço. Então foi mais assim que olhei para isso, e acho que há uma ideia convencional sobre o que é ser um marido ou um pai, que ao invés de ser uma liberdade real poderia ser uma armadilha. Essa é uma discussão muito mais complicada, muito mais longa, com a qual eu não quero desperdiçar o tempo de todos, mas também é o centro do porquê ele foi embora, eu acho.

O que você sentiu que você foi capaz de fazer com esse papel que você nunca teve a chance de fazer antes?

Gyllenhaal: Foi um momento muito íntimo e era apenas nós e nada mais na cidade onde estávamos gravando, exceto nós e o trabalho que estávamos fazendo. A última vez que tive uma experiência como essa foi em Brokeback Mountain, filmando no meio do nada, e nós realmente só tínhamos um ao outro. Eu era amigo do Heath Ledger antes de começarmos, mas nesse caso, era um grupo de amigos fazendo algo juntos, e não é que não houvesse pressão, mas havia uma sensação de facilidade e camaradagem. E, para mim, foi simplesmente adorável estar com meus amigos extremamente talentosos e ajudá- los a fazer coisas extraordinárias. É um pouco como me sinto, como se eu pudesse fazer parte de duas pessoas incrivelmente talentosas fazendo algo realmente maravilhoso.

Jake, eu sei que você está voltando das filmagens do Mysterio para Homem-Aranha:Far From Home. Como foi essa experiência, estar nesse mundo de super-heróis?

Gyllenhaal: Eu gostaria de poder te contar. Se eu tivesse permissão para falar sobre isso.

Como é, como ator, visto que recentemente você tem feito filmes menores, íntimos e intensos, agora fazer parte de um conjunto maior e de um projeto de um estúdio maior?

Gyllenhaal: Eu diria que, com John Watts que dirigiu o filme, o que torna a sequência dessa franquia tão boa é que há uma intimidade nela, e há uma sensação nas cenas, com o elenco em particular e também com a narrativa, que você sente que está realmente em um filme com seres humanos. Isso é o que se sente quando você está trabalhando. Então não foi tão diferente, mas novamente, eu não sei, você terá que ver.

Carey, quando vamos ver você em um desses grandes filmes de super-heróis?

Mulligan: Eu apenas preciso de um trabalho.

Gyllenhaal: Quem sabe? Talvez ela…. já esteja em um.

Mulligan: Talvez eu já esteja!

Gyllenhaal: Ela produziu algumas coisas incríveis.

Mulligan: Eu tenho filhos que são muito pequenos. Vou fazer isso por um tempo.


Fonte: Entertainment Weekly
Tradução & Adaptação: Equipe Jake Gyllenhaal Brasil

deixe o seu comentário!